quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Espaço Itália

Bom, depois do dia da noiva e do vestido, vou tentar, em breves linhas, registrar todas as informações sobre o meu casamento no Espaço Itália. Mas, como é muita coisa pra avaliar friamente, pode ser que nem tudo caiba só neste post, ok? Com o tempo, a gente vai pensando nas coisas e lembra sempre de mais algum detalhe.
Pois bem. O casamento foi marcado lá para as 11hs do domingo. Eu queria no sábado, mas a pessoa que me atendeu (Heloísa) sugeriu o domingo, que, por não ter festa à noite, permitiria uma esticadinha "básica" na festa. Achamos o argumento bastante satisfatório quando fechamos o contrato.
O primeiro grande problema que enfrentamos foi a famigerada tenda. Não sei se postei aqui antes, mas só escolhemos o lugar pela tenda. Lembro de ter comentado isso mais de uma vez antes de assinar o contrato. Ninguém jamais apontou qualquer custo a respeito da tenda. Mas, meses depois, com os convites prontos, fomos informados que custaria R$ 500,00 o "aluguel" da tenda. Se não contei, juro que reservo um post pra falar só sobre isso um dia desses.
Quando fui fechar a decoração, no fatídico dia da notícia do custo da tenda (juro que até esqueci minha bolsa - !!! - lá, de tanto que fiquei desapontada e desnorteada), descobrimos que não havia toalhas brancas disponíveis pro Espaço Itália. Fiquei p* da vida, porque era um dos itens que anotei pro noivo perguntar antes de fechar o contrato e, na época, haviam dito pra ele que exisita toalhas brancas.
Enfim, acabamos escolhendo a decoração amarela, pra combinar com as toalhas e não ficar algo despropositado. Como pagamos por flores nobres, queria usar algumas tulipas amarelas. Sei que são caras e, como esperava, colocaram algumas dificuldades.
O buquê eu queria de tulipas amarelas. Me pediram a segunda opção, que foi de callas com frésias e a terceira (fala sério!), que foi de rosas colombianas amarelas. Sobre o buquê, pensei seriamente em comprar um outro, pois meu sexto sentido me dizia que eles não fariam o buquê de tulipas amarelas do jeito que eu queria.
No dia do casório, tudo foi planejado pra eu não atrasar muito. O Espaço Itália tem a política de fazer a cerimônia às 12hs, quando é agendada pras 11hs. Eu, pessoalmente, acho um desrespeito com quem chega no horário e sai cedo de casa. Então, nos programamos pra cerimônia acontecer às 11:30. Devo ter chegado lá por volta desse horário (estava sem relógio). Fui recebida pelo maître, Neto, que, muito simpaticamente me trouxe uma água fresca e meu buquê e me informou que os convidados ainda estavam chegando e que aguardariam um pouco mais.
Fiquei um bom tempo no carro, batendo papo com o Paul (isso merece um capítulo à parte, juro!). Acredito que a cerimônia tenha acontecido depois do meio dia, mas não tinha relógio. Só acho que demorou demais. Mas, tudo bem, os convidados atrasados ainda estavam chegando....
O buquê, que eu havia pedido de tulipas amarelas e redondo, era de tulipas amarelas, pro meu alívio. Mas com frésias e não era redondo. Detestei à primeira vista. Mas não tinha mais o que fazer. No tempo que passei no carro, até pensei em pedir uma tesoura, pra igualar o tamanho das flores e amarrar ele de novo. Mas aí, deixei pra lá, respirei fundo e falei pra mim mesma, internamente, eu sabia que isso ia acontecer, pelo menos era de tulipa amarela....
Na entrada, a Fernanda me disse pra colocar o buquê pra baixo, porque era "cascata". Na boa, eu, baixinha que só, com um buquê cascata!!!! Fala sério?! Quem fez isso???? Mas aí, já era, né?! Entrei com o buquê na mão esquerda, com o braço todo torto e a mão direita solta, sem ter o que fazer com ela.
Talvez tenha sido isso, o stress do buquê, ou o fato de eu ter entrado sozinha, mas andei muito rápido até o altar da capela, o que fez os fotógrafos me darem várias broncas....
Quando cheguei no altar, tomei um mega susto: havia um crucifixo, uma imagem de santo antônio e outra, de nossa senhora aparecida. E meu casamento não era religioso!!!

Ainda bem que era só civil e não evangélico, mas fiquei super desapontada com isso, porque os pais do noivo são evangélicos e não devem ter gostado nem um pouco das imagens ali. Fora que as fotos ficaram bem estranhas e incongruentes....
Mas, aí, já era, né?!
Depois da cerimônia, eles enfileiraram os padrinhos, floristas e pajens, pra jogarem pétalas na gente. Ficou lindo. Isso a gente não tinha combinado e nem sabia. Gostei bastante!
Levaram a gente pra suíte da noiva e disseram que o Neto iria nos procurar logo. Os fotógrafos iam entrar junto, mas eu pedi uns cinco minutinhos (ainda bem, porque a suíte estava a maior zona!), pra ir ao banheiro...
Achei legal que eles deixaram uns salgadinhos e sucos pra gente beliscar um pouquinho ali e aproveitamos pra bater um papo.
Aí, soube que os arranjos de mesa, que tínhamos escolhido direitinho, com indicação de todas as flores amarelas (rosa, lírio e chuva de ouro) tinham sido montados com uma maçã em cada arranjo. O noivo perguntou se havia a tal maçã e eu gelei, disse que de maneira alguma. Aí, ele ficou aliviado, porque disse que tinha mandado tirar todas as maçãs dos arranjos assim que as viu. E eles tiraram, ufa! Ainda bem que ele foi inspecionar tudinho...
Ele disse também que havia ligado lá pra pedir um tripé pro nosso quadro e que quando chegou lá tinha um negócio estranho e todo sujo. Colocaram um pano por cima, pra disfarçar... E que tava preocupado porque pediu para montarem as mesas dos bem casados e das lembrancinhas e que tinham colocado um vaso em cada uma delas, que ele mandou tirar, mas não sabia se tinham tirado, porque acabou demorando na supervisão e quando os convidados já estavam chegando, saiu correndo pra se trocar.
Fiquei apreensiva. O Neto veio dizer pra gente que organizaria nossa entrada no salão e para aguardarmos ele nos chamar, pra não sairmos da suíte. Ficamos mofando lá um tempão, até que eu desisti e saí pra pedir pra tirar fotos com os fotógrafos. O noivo aproveitou pra ir ao banheiro e fomos tirar fotos.
Não contei que o sol abriu incrivelmente durante a cerimônia e que, como o dia estava lindo, os fotógrafos se empolgaram com as fotos. Queríamos chamar os pais e padrinhos pra tirar fotos ali, ao ar livre, mas o Neto veio nos apressar, porque já estava tudo organizado e o almoço já estava muito atrasado, tinha criança e etc... Que depois poderíamos sair pra tirar mais fotos no jardim.
Eu não sei esconder minha insatisfação e falei pro noivo, ali mesmo, que achava engraçado a gente ter ficado tanto tempo fechado na suíte e agora ficar sendo apressado assim, do nada. Hmpf.
Entramos no salão. Foi muito legal a entrada até que eu vi a mesa do bolo. Quando bati o olho, falei umas 3/4 vezes pro noivo, seguidamente, "não era esse o bolo"!!!
Não era mesmo! O bolo da nossa mesa era daqueles decorativos, de 3 andares, e eu havia escolhido o bolo que é composto por três bolos redondos, sobre suportes de metal, um mais baixo, outro médio e um no centro, mais alto. O do meio tem os noivinhos em cima e os demais, flores combinando com a decoração. Achei bem mais bonito e delicado e sem aquela cara de "casamentão".
Mas, sei lá porquê, o bolo era o batido e famoso "três andares" branco.... Bonito tava, mas não era o bolo que eu tinha escolhido. Me senti uma idiota perdendo tempo com todos esses detalhes, muitos ignorados no casamento...
Não à toa, minha foto cortando o bolo não ficou das melhores... Dá pra ler na minha expressão meu desconforto...
Percebi, também, que os arranjos tinham uma gérbera laranja. Além de não ter escolhido gérbera, laranja não deveria aparecer no meu casamento. Os arranjos estavam sobre um suporte de espelho que eu não havia escolhido, mas que ficou bem bonitinho.

Os guardanapos, também, não estavam dobrados como escolhemos, em triângulo, mas em leque. Percebi isso bem recentemente, vendo as fotos e lembro muito bem de ter escolhido outra dobra.
Mas, em compensação, a cerveja servida foio skol long neck e os baldes com gelo ficaram à disposição das mesas (isso eu juro que conto quando falar da tenda....).
Enfim, era um tal de vem pra cá, vem pra lá, faz isso, faz aquilo, que em um determinado momento, me virei pra minha mãe e reclamei que nunca imaginei que ia receber tanta ordem no meu casamento!!!
Por volta de 17:30, o buffet mandou a banda parar. Pelo contrato, eles até tocariam mais, mas o buffet encerrou a festa. Ainda tinha bastante gente lá e, se desse pra esticar, o pessoal ficaria mais um pouco. Mas, enfim, eu tava longe e quando vi, a festa já tinha acabado.
Foi tudo muito rápido, mas, em geral, foi muito bom. Os garçons trabalharam super bem, teve comida e bebida o tempo todo, a organização realmente cronometrou tudo, para que nada ficasse bagunçado ou atrasado, o atendimento de lá foi perfeito e a festa foi ótima!
Todos elogiaram e amaram muito! O legal é isso, ver que o que não aconteceu como programamos deu certo. Os convidados nem perceberam as falhas, mas nós, que cuidamos de tudo, o tempo todo, percebemos e ficamos chateados com algumas coisas. Por outro lado, muita coisa saiu como - ou melhor - que deveria. Então, a avaliação geral é boa, mas com ressalvas.
Ah, esqueci de falar que os vasos que o noivo pediu pra tirarem das mesas dos bem casados e das lembracinhas não foram totalmente retirados. O das lembrancinhas, parece que sim, mas a foto que tiraram da mesa mostrou tudo meio bagunçado (pode ter sido criança, convidado, vai saber...), mas o dos bem casados não foi retirado e - adivinhem - caiu no meio da festa e espalhou um pouco de terra em alguns doces! Ainda bem que minha mãe viu e pediu pra eles arrumarem. Ela disse que foram bem prestativos e resolveram tudo rapidamente. Ainda bem! :o)
Acho que não esqueci mais nada. Sobre as maiores histórias, juro que escrevo depois. Antes, quero contar da música, das fotos e de tudo mais!
Beijocas mil,
Gabi

2 comentários:

Ju disse...

ah eu vou me casar lá do lado do espaço itália...
confesso q não fui ver esse lugar pq vi no blog de uma outra noivinha q ela tinha tido uma briga com a dona e aí achei melhor nem ver... não lembro direito pq, mas na época achei q não deveria ir
mesmo com tudo saindo certo e ngm percebendo nada, a gente q se matou por cada detalhe fica mesmo frustrada né? não sei como eu reagiria, mas acho q ficaria BEM p da vida...
enfim, o importante é q no geral deu tudo certo e todo mundo gostou né?
=)

Juliana Fiorin disse...

Gabi, infelizmente nem tudo está tudo sob nosso controle, é complicado. Mas sãio detalhes, que geralmente os convidados nem percebem!

Um beijo e quero ver fotos da festa!