sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Aê!

Até que enfim, consegui acertar o fuso horário do blog!!!! Uhu!
Inacreditável!
Tenho até esperanças de um dia conseguir acertar o problema das linhas (em falta ou em excesso...).
Hoje foi pauleira. Mil coisas aconteceram. Não ia sair, depois ia sair e acabei perdendo a tarde toda na rua, pra fazer duas ou 3 coisinhas, apenas.

O bom é que retiramos nosso livro de assinaturas, que ficou lindo! (simplesmente um luxo!!HEHEHE) Nosso quadro, também, e definimos a fotolembrança...
Arrumei minha mala pra viagem internacional e fiquei impressionada com o fato de eu, enfim, ter atingido a almejada capacidade de síntese! Sim, minha mala foi fechada com tranquilidade, sendo que ainda há espaço pra roupas (que não pretendo utilizar) e a mala ainda conta com o extensor! Ueba!!! Dá pra trazer muamba!!! hehehe

Parei antes de terminar a mala da viagem nacional pra enviar o contrato dos cartões de agradecimento à Susana, já que nunca mais conseguimos falar com ela e acabamos esquecendo (evidente!) de enviar, com tanta coisa pra concluir...

Mas fiquei brigando com o pc. É horrível não usar o nosso computador pro que quer que seja... Eu tô no da minha mãe, que é bem melhor que o meu, mas não é o meu e não tem os mesmos recursos.... Por isso, carrego meu note pra tudo quanto é canto: não posso viver sem ele! hehehe
Bjks.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Ufa!

Fui buscar o vestido hoje, no final da manhã. Ficou lindo!
Nem eu podia imaginar que ele ficaria tão bonito.
Vou preparar um post mais bem elaborado com notícias sobre o vestido, contando, passo-a-passo, toda a saga, já que vi que algumas pessoas chegaram no blog procurando pelo nome da loja. Assim, deixo todas a par de tudo o que aconteceu e do resultado, que foi realmente excelente!
Fiz drenagem à tarde... Que saudades da minha fisioterapeuta, que faz uma drenagem linfática de tirar o fôlego, afina tudo! A drenagem de hoje foi tão suavezinha... Espero que tenha estimulado a circulação, pelo menos, pra eu desinchar o suficiente pro casório, senão fico toda redonda.
Depois, o noivo quis comprar perfume, pq tá sem nenhum, todos acabaram. Antes disso, compramos umas tranqueirinhas pra montar uns kits de emergência que deixaremos nos banheiros. Acho que vai ficar bem legal!
No fim do dia, vi a foto do nosso topo de bolo, que ficou bem fofinho! Nós dois no boteco, bebendo e petiscando! :o)
Tô devendo mil fotos aqui, mas essa eu realmente não posso colocar por causa do noivo.
Bjks e boa noite!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Desabafo

Preciso dizer, aqui, que cada dia mais as postagens do Blogger estão mais loucas!
Quando dou espaço entre os parágrafos, eles não existem na visualização. Aliás, apenas alguns deles existem.
Ou, então, eles se tornam espaços gigantes, como no último post!
Só postando em html mesmo, pra resolver o problema!

Faltam só CINCO dias!

Pois é. É o que o site do casório diz....


Queria ter um pouquinho só mais de tempo. Pra descansar e organizar o roteiro da nossa viagem, pelo menos. Até agora, nada.


No domingo, eu dormi até tarde, pra me recompor. Fomos ao shopping fazer compras pro noivo viajar. Conseguimos ir a apenas uma única loja. Ficamos lá o tempo todo. Pelo menos, ele comprou um "enxoval", praticamente! E 20% da compra dele reverteu em bônus e eu tive o privilégio de escolher umas 3 pecinhas! Ueba! Foi um prejuzão. Só mais um, até agora...hehehe


Precisávamos comprar euro, mas não deu. Nem no aeroporto eu acho que conseguiríamos no domingo à noite. Então, preferimos ir descansar, já que ele ia trabalhar na segunda, mesmo de férias (caxias que só!).


Hoje, acordei cedo e dei uma ajeitada no meu quarto. Porque tava uma zona. Caixas de presentes por todos os lados. Tava difícil andar! A minha escrivaninha, então, dava vontade de chorar de tanta bagunça e tanto papel. Passei a manhã em organização! Mas foi bom, pq rasgar papel sempre faz bem. E me livrei de vários orçamentos que fizemos pro casamento que, hoje, não têm mais utilidade. Em umas duas horas, ficou com outra cara. Organizaaaado não tá, né? Mas já dá pra viver melhor lá dentro...


Depois, fui almoçar no shopping com minha mãe e minha irmã, pra aproveitar e trocar euros... Acabei aproveitando e comprando, na Camicado mesmo, as tacinhas pras lembranças dos padrinhos. Não dava tempo de pesquisar melhor, infelizmente. Comprei também duas melissas pra viagem. Uma baixinha e redondinha, do jeito que eu queria (depois posto fotos aqui), e outra, do pequeno príncipe, roxa. Era a última da loja, justo no meu tamanho e na minha cor! :o)


Depois que chegamos em casa, apesar de eu querer, há quase uma semana, ligar pra todos os fornecedores pra confirmar tudo, só consegui resolver uma questão burocrática: liberar os cartões para uso no exterior, para que não sejam bloqueados.

Depois, eu e minha mãe começamos a pintar as caixinhas de madeira... Incrível! Elas se proliferavam!!! Demoramos muitas horas pra fazer a base das caixas em branco. Acho que passamos muitas demãos em algumas. Mas sempre aparecia uma sem qualquer tinta ainda! Quando começou a escurecer, piorou, porque não conseguíamos ver direito se elas estavam com uma ou duas demãos, então devemos ter passado várias em algumas caixas e menos em outras... Mas conseguimos, enfim, terminar!


Minha irmã e o namorado chegaram pra ajudar e aproveitaram pra tirar todos os apetrechos da festa dos saquinhos e misturar tudo em sacolas grandes. Fizeram um mega controle de qualidade, inclusive, e tiraram o que tinha algum defeito. Alguma coisa, conseguimos consertar, outras poucas, não.


Depois de secas, eu e minha mãe conseguimos pintar todas as caixinhas de preto por dentro, com a maior rapidez, agilidade e tranquilidade do mundo! O que indicou que nos atrapalhamos mesmo na hora da base. Já tínhamos consegui estabelecer um método decente de "produção em série" e tudo ficou mais fácil. Acabamos deixando pra pintar as caixas por fora amanhã, quando elas estarão bem secas e ficará mais fácil terminá-las. Quando estiverem prontas, posto aqui!


Por falar em artes manuais, a almofada de alianças eu terminei ontem. Havia feito os fuxicos em Brasília. Minha mãe cortou o cetim, costurou e encheu a almofada. Ontem, eu terminei a aplicação de fuxicos e de uma fita de cetim, pra amarrar as alianças. Agora, só falta testar. Quando estiver pronta, juro que tb posto uma foto aqui, pra me exibir! hehehe


Quem vê até pensa que eu sou prendada...





segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Em contagem regressiva...

Férias é algo inexistente pra quem vai se casar no domingo, viu?!

Se eu tô ansiosa? Se deu frio na barriga? Juro que até agora nem... Nem deu tempo de cair a ficha, eu acho. Tantas coisas ainda por resolver....
Mas deu tempo de sonhar, pela primeira vez, com o casamento. Sonhar de verdade. Na noite de sábado pra domingo. Exatamente uma semana antes do dia D. E foi um pesadelo!
Sério, puta nightmare! Sonhei que desistimos, não sei porquê, do bufet e, ainda que pagássemos a fortuna que estamos pagando pela festa, ela foi na minha casa. Mas a sala da minha casa era a sala do meu antigo apê na praia, com a mesa atual da minha cozinha (sabem como são os sonhos. Toscos!). Devia ter apenas umas 20 pessoas. E a banda tinha saído pra almoçar (detalhe: a recepção do meu casamento será um almoço!) e ainda não tinha voltado. Nada de música, uma prima da minha mãe, que é super arroz de festa, estava indo embora. Resumo: fracasso total!
Foi daqueles sonhos horríveis em que a gente fica brigando pra acordar, porque não quer continuar no sufoco, sabem? Mas, ufa!, foi um sufoco mesmo! Ainda bem que acordei, né?!
Sobre os últimos detalhes, foi tudo super pauleira. Só ontem eu consegui dormir. Um luxo, apesar das férias.
Bom, saí de Brasília com o noivo, de carro, na tarde de terça-feira. Trabalhei segunda até bem tarde (umas 20hs, considerando que entrei às 08:15 e não saí pra almoçar, como sempre), fui buscá-lo no aeroporto, trabalhei na terça, terminei de arrumar as coisas (e esqueci várias, claro...) e pegamos a estrada. Dormimos em Uberaba e chegamos em SP na quarta às 16:30, por aí.

Ainda bem que tinha alterado a prova do cabelo e da maquiagem pra quinta-feira! Tava poooodre da viagem!

Quinta, perdi a manhã toda com umas burocracias de cartório por causa da venda de um imóvel da família. À tarde, passei no salão. Fiz prova de cabelo e de maquiagem. Sofri com a escova, o cabelo ficou muito curto, foi todo preso e ficou lindo! Depois, pedi pra soltar pra ver como ficava e ficou ainda melhor! A maquiagem também foi difícil de escolher, mas ficou tudo ótimo!

Bom assim, né?! Melhor ser difícil escolher pq tudo é ótimo do que pq tudo ficou ruim! ;o)
A Alê, cabeleireira do Ópera, é ótima, uma fofa! E faz tudo com música, sempre. Como eu! :o)
Saímos de lá de noitão. Ainda bem que nem precisei tingir meu cabelo (que tá bicolor) e acertar as pontas, pois vou acertar só no finde do casório. A limpeza de pele teve que ficar pra sexta-feira.
Na sexta, fiquei em casa pela manhã, esperando chegarem presentes. E o tempo estava horrível! Aproveitei pra adiantar a lavagem de roupas pra viagem. Depois do almoço, fui pro salão com o noivo e fiz a limpeza de pele. De lá, fomos pro Shopping Ibirapuera buscar as alianças. Aproveitei pra passar na Any Any pra comprar mais umas coisinhas pra viagem e fiz o maior estrago. Ah, é, o noivo tinha que pedir pra fazerem o nó na gravata e eu nem quis pagar esse micão com ele (mico porque ele trabalha engravatado todo dia! e nem tinha experimentado a camisa que vai usar no casamento, acreditam?!).
Chegamos em casa super tarde. Quebrados. Ele tava quase dormindo no volante. Eu, de passageira, quase babando....
No sábado, passamos quase o dia todo na 25 de março. Fomos comprar coisas para compor as lembrancinhas dos padrinhos e para distribuir na festa (adereços diversos). Tivemos que fazer, praticamente, duas viagens com sacolas até o carro. Gastamos horrores! Pensem numa pessoa que adora fazer compras já de saco-cheio de gastar dinheiro e andar na 25. Sou eu, por incrível que pareça!
Compramos, primeiro, as caixinhas de madeira. Uma dificuldade imensa e não conseguimos oito iguais. Eu encomendei em uma loja que não entregou a tempo. Passei em outra que o povo tava com má vontade demais pra vender e sobrou as duas lojas da 25 de março que eu conseguia lembrar. Depois, lembrei de diversas outras, mas nem daria tempo mesmo. O resultado são 04 caixas idênticas. 02 maiores e iguais e 02 diferentes. Fazer o que? Em alguns casos, a diferença é mínima...
Comprei tintas e cetim. A idéia é pintar as caixas todas de preto, forrar o fundo com cetim preto e entregar aos padrinhos com uma baby chandon e uma tacinha na caixa. Era pra ter uma decoupage com uma foto em preto e branco dos padrinhos, mas não conseguimos imprimir a tempo (e eu nem conseguiria fazer a decoupage a tempo, percebi!).
Depois, para distribuir na festa, compramos gravatas grandes e borboletas com paetês, óculos diversos, marabús (aquelas peninhas), chapéus de EVA tipo "malandro" (e não de cowboy!), uma cartola pro noivo e uma estola (tipo boá) pra mim! Já tínhamos umas máscaras que compramos há uns meses...

Acho que vai dar pra se divertir bem!
No meio das compras, adquirimos também durex largo, pra fechar as caixas que irão pra BSB com alguns presentes, fita de cetim pra almofadinha de alianças que eu tava fazendo (e que vai ser tema de um outro post...), eu aproveitei pra comprar outras coisinhas (mini mesmo) pra viagem e acho que foi "só".
Muito dinheiro, muito tempo e muito trabalho. Cansamos demais! Almoçamos no shopping, antes que eu desmaiasse, e viemos pra casa. Tava detonada.

Mas apesar do cansaço e tudo (a dor da vacina, p.ex.), foi muito bom rever minhas amigas! E, agora, tenho um álbum fofíssimo pensado e trazido pela Carol com fotos nossas antes do casório. Já vou preencher (assim que tiver um tempinho) com fotos mais recentes e, depois, as que tiraremos depois do casório! :o)

sábado, 20 de setembro de 2008

Despedida

Duas amigas minhas queridíssimas, do coração, vieram aqui em casa hoje à noite... Saíram daqui umas dez e pouco. Conversamos bastante e, apesar de não ter "aquela" despedida de solteira de chutar o pau da barraca, foi muito bom ver que as pessoas estão tão felizes por mim e curtindo esse momento junto comigo! Isso, para mim, foi a melhor "despedida" que poderia ter.

Até mesmo porque não há despedida alguma, né?! Faz cinco anos que estou com o Vitu e nunca, nesse tempo, me tornei uma pessoa inacessível. Ao contrário, sempre participamos de todos os eventos possíveis. Normalmente juntos, mas nunca percebi que isso atrapalhe qq ato de espontaneidade de um de nós. Acho que é sempre assim quando se é verdadeiro e se curte estar junto da outra pessoa, né?! ;o)
Então, meu status muda, mas eu continuo a mesma. E não preciso me despedir de nada ou de ninguém, apenas curtir essa fase de transição prum outro momento.
Boa noite. Tô cansadíssima!!! Se conseguir, amanhã posto contando sobre os últimos momentos antes do casamento e como pequenos detalhes podem ser tão cansativos.

Sobre a Lista de Presentes

Acabei de ler esse texto no Yahoo, sobre os critérios para a lista de presentes de casamento, e achei interessante divulgar:
Casamentos de Juliana Paes e Sandy apontam os exageros na lista de presentes
A cantora pediu um faqueiro de 17 mil reais, enquanto o da atriz custava 2 mil
Quem está pensando em casar, já sabe que a lista de presentes envolve uma tradição com tantos detalhes quanto a própria cerimônia. Os noivos podem contar com ela para oferecer doações a casas de caridade, como fazem alguns famosos, ou para complementar a casa nova. Limite dos preços, a loja que a lista irá ficar e a escolha dos pedidos, no entanto, pedem bastante atenção a medida previne o desgosto na hora de abrir os laços.Na mídia, dois recentes casamentos de famosas abriram novamente a discussão sobre os limites que uma boa lista pode apresentar. A lista da cantora Sandy, que se casou com o também cantor e musico Lucas Lima, incluía um faqueiro de prata que custava 17 mil reais e liderava o ranking no quesito preços altos. O mais curioso é que na lista da atriz Juliana Paes, que se casou com o empresário Carlos Eduardo Baptista, o item mais caro também era um faqueiro de prata. Mas o modelo escolhido não passava de uma pechincha, em comparação ao da cantora: 2.628,90 reais.Mas como entender o que é exagero, o que a lista precisa apresentar e a melhor maneira de organizar cada item? O MinhaVida conversou com duas especialistas no assunto, Dani Fontana Tranchesin e a Paula do Amaral Rocha, profissionais da empresa NEO10 voltada à assessoria de eventos .A primeira característica, e mais marcante de todas, é o fato dos presentes não acabarem sendo repetidos. Com a lista de presentes, a possibilidade dos noivos receberam presentes iguais é pequena , afirma Dani. Mas, para que isso aconteça é preciso pensar em alguns detalhes como a variação de produtos e, principalmente, de preços. A dica é fazer uma lista diversificada com várias opções de preços para que os convidados possam escolher de acordo com suas possibilidades. Se preferirem, os noivos podem escolher mais de uma loja e montar as listas com o que mais agrada em cada uma delas, diz Paula do Amara Rocha. A loja ou as lojas onde as listas se encontraram também precisam ser muito bem analisadas, pensando na praticidade para os noivos e para os convidados. Existem aquelas que deixam a lista disponibilizada no site da empresa, assim os convidados podem garantir o presente sem nem sair de casa. Mas, de qualquer forma, é importante pensar em lojas com várias filiais e de fácil localização, afinal há quem não goste de comprar nada sem ver.Outro item para ser analisado na loja está no prazo de entrega, se existe algum tipo de frete e quem se responsabilizara pelo o pagamento da taxa (noivos ou convidados), qual a política de troca de presente e a garantia de entrega , explica Dani Fontana.A lista também precisa ser muito bem definida e é necessário especificar todos os detalhes do produto, como cor, marca e tamanho. É muito importante não deixar o convidado na dúvida, caso isso aconteça o produto pode acabar não sendo o esperado pelos noivos. E não podemos esquecer que é essencial que a lista seja elaborada pelo casal, afinal, a nova casa será dos dois e ambos devem escolher, em conjunto, o que haverá dentro dela diz Paula Amaral Rocha.E sabe o papo que eletrodomésticos precisam ficar fora da lista? Pode esquecer, as especialistas afirmam que eles podem e devem entrar na lista. A lista de casamento precisa conter todos os elementos que faltam para complementar a casa dos noivos, o importante é não cometer exageros e diversificar os produtos e os preços explica Paula Amaral.Outro pecado cometido em relação à lista de presentes é a indicação da loja que ela se encontra no convite de casamentos, coisa que de acordo com Paula Amaral é fora de cogitação. Colocar o nome ou endereço da loja que onde esta disponível a lista de presentes do casal pode soar deselegante. O ideal é esperar que os convidados perguntem em que lojas estão suas listas. Uma boa dica é comentar com os convidados mais próximos que, com certeza, irão ajudar Mas caso a dúvida ainda seja grande e os noivos estejam fugindo do estresse, uma boa opção é contratar uma empresa que se responsabilize pela lista de casamento, elas fazem praticamente todo o serviço para os noivos que só precisam aprovar se os presentes são mesmo o esperado.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Detalhes, apenas detalhes...

Pois é, finalmente estou de férias e à inteira disposição pro casório.
O noivo foi me buscar (praticamente arrastada...hehehe) em Brasília na segunda-feira à noite. Chegou lá de avião e saímos de lá de carro, na terça à tarde, meu último dia de trabalho... Dormimos em Uberaba, de onde saímos na quarta-feira bem mais tarde que havíamos pensado, pois o café da manhã tava tão boooom....
Chegamos quarta à tarde aqui. Cansados. Abrimos todos os presentes que recebemos até agora. Foi o máximo! Eu, que adoro coisas pra casa (e ele tb!), queria poder já usar tudo!!! Separamos o que levaremos para Brasília agora e o que não levaremos, por ora. Foi bem legal! :o)
Hoje, corri pra caramba. De manhã, tive que resolver umas coisas da família e acabei nem tomando a vacina da rubéola que tinha que tomar hoje de qq jeito (ficou pro último dia, amanhã!).
À tarde, fiquei no salão de beleza fazendo o teste do penteado e da maquiagem. Canseira total. Mas escolhi tudo, ficou ótimo! Nem posso contar, pois ele fica bisolhando o blog...hehehe
A limpeza de pele teve que ficar pra amanhã.
Além disso, amanhã ainda tenho que terminar a almofadinha das alianças, ver se consigo pegar as caixinhas pras lembrancinhas dos padrinhos e tive que abortar a ida à 25 de março pra compras as tranqueiras que iremos distribuir na festa. Ficou pra sábado. Bom que o noivo vai junto (espero!). E ainda tenho que tomar vacina. Quero só ver...
Férias doidas essas, cheias de trabalho! ;o)
Minha despedida de solteira, que seria no final de semana, furou totalmente. Cada uma das minhas amigas com um compromisso diferente.... Aí, resolvemos aproveitar pra sair com nossos pais para jantar, já que nossas famílias quase não têm nenhum contato uma com a outra. Vamos ver se dá certo... Tomara!
Bom, por hoje chega! Bjks e boa noite! Amanhã, provavelmente, não poderei postar por causa do trabalho da pós...

Cotas de Lua-de-mel

Pois é, iremos à Grécia, como eu disse, com a ajuda de vários amigos, parentes, padrinhos e diversos familiares!
A idéia das cotas surgiu pelo fato de, como não estamos montando casa, nossa lista de presentes ser pequena. Mesmo assim, fizemos duas sugestões de lista, uma na Camicado, com coisas para casa em geral, e outra no Submarino, com mais eletrônicos.

Já confesso que do Submarino estou me arrependendo profundamente. Cada dia mais tenho a impressão de que eles, que eram tão bons, se esforçam diariamente para que eu nunca mais compre nada lá.
Enfim, voltando às cotas. Pesquisamos, para variar, diversos lugares. Algumas agências não tem esse serviço. Outras, têm, mas não satisfatoriamente...
Quem ficou mais a par de todas as pesquisas foi o noivo. De qq forma, me lembro das duas últimas empresas com mais facilidade.
De fato, fomos na Nascimento Turismo e adoramos a forma deles trabalharem. Mas, por via das dúvidas, passamos na CVC, já que é uma empresa enooooorme, pesquisamos alguns pacotes e obtivemos as informações das cotas de lá.
Vou começar pela CVC, onde não fechamos. Depois, fica mais fácil explicar onde e como fechamos. A CVC tem o programa de cotas, mas você tem que se inscrever pelo site, se não a lista fica atrelada a uma única loja, onde vc fizer o cadastro. Aí, para escolher um pacote, você tem duas opções: escolhe um pacote só depois que fechar as contas das cotas de lua-de-mel, o que não permitiria muitas escolhas, dada a proximidade da viagem (ou implicaria no adiamento da lua de mel para um bom tempo após o casamento), ou você escolhe um pacote, contrata e paga e os créditos das cotas de lua-de-mel poderão ser utilizados em uma segunda viagem, em até dois anos após o fechamento das contas.
Sinceramente, não curti nem um pouco essa idéia, pois ou as opções são reduzidas pelo exíguo tempo entre o fechamento das contas das cotas e a viagem (pois as pessoas deixam tudo pra última hora mesmo!), ou você pede pros convidados colaborarem com uma viagem de lua de mel prum lugar xis e acaba indo, depois, para um lugar y. Me sentiria quase uma estelionatária fazendo isso. E, ainda, sabendo que, de uma, comprei duas viagens com a CVC e dei o maior lucro pra eles!
Já a Nascimento tem um esquema completamente diferente. Foi o melhor dos lugares em que vimos as cotas de lua de mel. Além disso, achávamos (esperamos que realmente seja) que era uma empresa confiável, com muitos anos de mercado e tudo mais.
Lá, a Thaísa nos atendeu e explicou que funciona da seguinte maneira: escolhemos um pacote, contratamos ele e escolhemos a forma de pagamento. No nosso caso, em 10x sem juros, no cheque. Deixamos os cheques lá.
Os convidados ligam ou mandam email para ela informando que pretendem contribuir com determinados valores (estipulamos 50 e 100 reais e as pessoas podem contribuir com valores múltiplos desses...), ela envia um boleto por email para a pessoa, que paga no banco de sua preferência ou pela internet. O pagamento é identificado por uma numeração que existe no boleto. Quando o pagamento é acusado, o valor é convertido para o dólar do dia e vai para uma conta que a agência tem em nosso nome. Lá, ficam registrados nossos pagamentos e eventuais contribuições feitas pelos convidados, com identificação, valor, data e etc. Nesta conta, consta o saldo do valor do nosso pacote.
Alguns dias antes ou depois do casamento, nós passamos lá pra fechar a conta e ela nos indica quanto pagamos, quanto falta pagar do pacote e quanto foi pago pelos convidados. Assim, podemos optar por receber os valores que os convidados pagaram em dinheiro para converter e levar na viagem, pois eles têm caixa na empresa (imagino que dependa do valor, claro), ou deixar os valores dos convidados para pagar a viagem e retirar nossos cheques, que ficam em poder da agência e não são repassados a terceiros. Se nossos pagamentos, com as contribuições dos convidados, ultrapassar o valor do pacote, não ficamos com crédito, mas recebemos a diferença "a maior" de volta. De faltar, podemos antecipar pagamento ou deixar os cheques que já demos para cobrir o restante da viagem.
Digam se essa não é a melhor opção?
Sim, há diversas outras empresas que procuramos e posso tentar localizar todos os nomes para postar aqui, mas já adianto, de antemão, que nenhuma delas devolve $ pros noivos, apenas mantém crédito para que façam uma nova viagem, o que gera um p*&% lucro pra eles, já que se o crédito for insuficiente, a gente acaba contratando um outro pacote e pagando a diferença.
Enfim, claro que espero que dê tudo certo para indicar mesmo os serviços da Nascimento aqui, mas de qq forma, por ora, foi a melhor agência que encontramos não apenas para as cotas de lua-de-mel, mas para qualquer viagem. O atendimento é excelente e nós sentimos o grande profissionalismo das pessoas que trabalham lá. Depois da viagem, comento melhor tudo, né?!
Sobre as cotas, por enquanto elas são um sucesso. Faz tempo que não acompanhamos os valores das contribuições, mas nos espantamos há algum tempo com o tanto que já tinham contribuído. Nossa meta é alcançar valores suficientes para, pelo menos, pagarmos as 3 últimas parcelas, de Janeiro-Fevereiro-Março de 2009, pois assim entraremos no próximo ano sem dívidas! Por enquanto, estamos bem e acreditamos que iremos conseguir alcançar nossa meta. Quem sabe, até superá-la?

Lua-de-mel

A história da lua-de-mel é simples. Só quero ver se consigo escrever em poucas palavras:

Eu sempre quis passar a lua-de-mel ou em um cruzeiro pelas ilhas gregas ou próximo aos alpes suíços. Coisa antiga. Acho lugares lindos e românticos!

Mas, enfim, voltando pra realidade, qq um dos lugares custaria MUITO caro. Mas pesquisamos preços de viagens para a Grécia, ainda assim. Acabamos achando que o cruzeiro não compensaria, já que passaríamos muito rápido por lugares lindos como Mykonos e Santorini e mal ficaríamos em Atenas e ir à Grécia e não ver o Parthenon seria pior que ir à Roma e não ver o Papa...

Concluímos que uma viagem terrestre, apesar do abre-e-fecha malas, seria melhor. Mas ainda muito caro. Acabamos deixando a idéia de lado, pois embora havíamos pensado em um casamento simples pra fazer nossa viagem dos sonhos, os custos de tudo estavam muito mais altos que eu imaginava, então seria impossível irmos à Grécia.

Passamos a procurar lugares no Brasil mesmo. Meu sonho de consumo no Brasil, então, se tornou o Nanai, em Muro Alto (Pernambuco), perto de Porto de Galinhas. O resort é para casais em lua-de-mel. Lindo. Parece o Tahiti. Chalés com piscinas individuais, dá pra acreditar? Mas o preço.... Saía mais caro que ir pra Grécia. Juro!

Fomos, então, restringindo nossas opções. Buenos Aires, que já conhecemos e adoramos, Bariloche, Mendoza ou Santiago, no Chile, todas opções legais e mais em conta que viagens nacionais. Compramos um livrinho da Viagem & Turismo de viagens românticas. Lugares lindos, paradisíacos, hotéis maravilhosos. Mas tudo caríssimo!

Aí, meu tio ofereceu pra gente diárias de um clube que ele é sócio que garante 07 noites de hospedagem em qualquer hotel conveniado no país. Poderíamos ir pra qq lugar, pagando só nossa passagem aérea. Excelente!!!! Ficamos radiantes!

Mas aí fizemos uma prévia de nossa lista de presentes. Como moramos em um apê alugado já mobiliado e não estamos montando casa (pois senão eu estaria internada em algum hospital psiquiátrico a essa hora...), nossa lista ficou pequenininha. Aí, a idéia de utilizarmos cotas de lua-de-mel, que já havia sido considerada, voltou a surgir em nossas mentes...

A gota d'água, juro, foi ver a foto de um ex-estagiário meu em Santorini, no orkut. Ah, não, desaforo!! Meu estagiário foi pra Grécia e eu não vou em plena lua-de-mel??? No way!

Decidi que teríamos que ir, de qq jeito!!!! Pesquisamos bem, cortamos algumas coisas de um pacote que nos pareceu ideal, fizemos um plano de parcelamento em 10x sem juros e, enfim, iremos à Grécia!!!! Iupiiiiiii!!!!


O resultado é que casaremos em um domingo e, na segunda-feira iremos, de carro, para Itatiaia pra descansar um pouco (com as diárias que meu tio nos presenteou). Na quinta-feira, retornaremos e iremos para a Grécia. Como temos conexão em Paris e as cotas de lua-de-mel estão rendendo aparentemente bem, iremos ficar umas duas noites em Paris e, de lá, partimos para Atenas (pois parar no meio do caminho não custa mais caro, basta pagar a hospedagem!). Ficaremos duas noites em Atenas, duas em Mykonos e três em Santorini. Economizamos com algumas coisas do pacote e acabamos gastando um pouquinho mais com outras. Espero que seja tudo excelente!!! Na verdade, tenho certeza que será!!! :o))

Gravata

Descobri uma coisa muito curiosa nesse "mundo dos casamentos". Eu nunca gostei daquela brincadeira da gravata. Sei que rende uma grana boa, ajuda o casal na viagem de lua-de-mel 0u no início da vida e tudo mais.... mas sempre achei a maior tosquice, de profundo mau gosto, uma pressão absurda e desnecessária sobre os convidados que, constrangidos, acabam "contribuindo" com algum valor.
Como se alguém fosse para um casamento com dinheiro. Muitas vezes, o dinheiro da carteira servirá justamente pros convidados pagarem o estacionamento ou o flanelinha na saída do casório, já que o local não ofereceu o necessário serviço de guarda dos carros.
E, pior, como casar custa caro e a festa também, parece até que os noivos estão "cobrando" pela entrada dos convidados na festa, pedindo pra ajudar a pagarem a festa da qual desfrutaram (mas que nem sempre foram de livre e espontânea vontade...hehehehe).
Aí, jurei que no meu casamento isso nunca iria acontecer. E conheci muita gente que acha o mesmo que eu.
Não condeno quem faz a brincadeira, entendo perfeitamente e tudo mais. Mas no meu casamento isso não rola de jeito nenhum. E uma amiga que casou em Março disse a mesma coisa. Que não aceitaria a brincadeira e que seria melhor ninguém inventar de começar com ela. Li em muitos blogs várias noivas dizendo o mesmo....
Então, fica a dúvida, se ninguém gosta disso e considera uma brincadeira de extremo mau gosto, por que ela ainda existe????
Não ficaria mais bonito e singelo se os noivos abrissem a possibilidade dos convidados os presentearem com dinheiro, já que precisam de alguma contribuição voluntária? Ou então, com cotas de lua-de-mel?
Brasileiro tem uma mania besta de ser cheio de pudores com relação a dinheiro, morrer de vergonha de pedir $$ de casamento, mas na hora da festa não tem o menor pudor de começar com a brincadeira da gravata e - bêbados - constragirem os convidados. Por que será isso, hein?!
Fica a questão...

domingo, 14 de setembro de 2008

Votos

Li que no casamento da Juliana Paes, o pastor leu um texto do Luis Fernando Veríssimo. Muito provavelmente, não foi nenhum dos milhares que circulam pela net como se fossem dele.
Aí, fiquei pensando. Adoro Veríssimo. Ele tem textos absolutamente excelentes sobre a vida de casais. Seria legal usar um, mas quem disse que eu vou ter algum tempo de pesquisar? E pra fazer tudo correndo, às pressas, não dá, né?! Melhor não fazer.
Mas como casaremos só no civil, podemos aproveitar pra enfeitar nossa cerimônia com nossos votos. Pensei em cada um de nós escrever os próprios votos, pra ficar bem personalizado. é meio estilo de filme norte-americano, mas é pessoal e lindo!
Só quero ver se vai rolar. Idéia é o que não falta. Mas daí a sentar pra escrever efetivamente tem um caminho longo...

Sossego

Só pra constar, eu não sou a única que permaneço calma e tranquila com a chegada do casamento.
A mãe e a irmã do noivo foram comprar vestido só hoje. Duas semanas antes do casório. Isso é tranquilidade... Em compensação, minha prima tá surtando porque não encontra um vestido que "preste" para a ocasião...hehehe Tá pior que eu, se bobear!
Além disso, uma das madrinhas (porque as outras 3 nem notícia deram) também nem tem roupa. Disse que não viu ainda. Mas, também, tadinha, ela acabou de ser vítima de um sequestro relâmpago essa semana (eu fiquei chocada e chateadíssima, imaginem o estado dela), então não tem nem cabeça pra pensar nisso por ora...
Pelo menos, o noivo tá todo pronto. Eu também. Acho que da gente não falta nada... nem a caneta. Só pegar as alianças na semana do casório...

Tá chegando...

Faltam quase duas semanas. E só.

Já tô até treinando pra chamar o noivo, por quatro anos simples namorado, de marido....

O curioso é que achei que ia ficar surtada e vejo que nem. Por enquanto, tô supertranquila...

E ainda faltam alguns detalhes aqui, outros ali... Mas a vida vai seguindo. Terça-feira começaremos nossa viagem rodoviária de 1000km pra SP e, a partir de quarta-feira, estarei finalmente em Sampa, cuidando de tudo e acertando os últimos (inúmeros) detalhes.

Enquanto isso, o noivo comprou hoje uma caneta tinteiro pra assinarmos os papéis na cerimônia. Porque eu pedi pra ele cuidar disso, pra não sairmos com uma BIC (adoro bic, viu?! mas a estética é sofrível) nas fotos. Mas não precisava tanto.


Quero só ver se conseguiremos usar a tinteiro. Costuma manchar pra caramba.... vamos ter que ficar testando antes tb!

O curioso é que eu queria que tudo no nosso casamento fosse mais informal. Assim, queria colocar Gabi & Vitu nos convites. Mas fui vetada pelo noivo, porque a família dele o conhece por Wellington. Tuuuuudo bem. Acho até certo usar o nome dele assim mesmo.

Depois, as faixas do caminho. Tb queria Gabi & Vitu. Vetada novamente.

Aí, as alianças. Poxa, pelo menos ali eu queria usar Gabi & Téo (como eu chamo ele). Ele tb quis Gabriela e Wellington. Puta formalidade. Principalmente porque temos nomes grandes...

A novidade foi que, hoje, ele ligou dizendo que comprou a caneta. E que ia pedir pra gravarem Gabi & Téo, mas se enrolou todo e.... Mandou gravar Gabriela e Wellington!!!! Poxa vida. Vou ter que começar a chamar ele pelo nome mesmo, já tô vendo. Cinco anos com a pessoa sem chamar de Wellington. É capaz de eu até trocar por outros nomes com sonoridade parecida (Émerson, Éverton, Welton...).

E depois dizem que noiva manda em tudo! Afe! Até parece! Isso só mostra como eu tô longe de ser uma bridezilla...

Pronto, falei! Hmpf.

sábado, 13 de setembro de 2008

Esquisitices das noivas

Aliás, hoje era o dia das noivas no Discovery Home and Health. Além do Bridezillas, passou um casamento indiano (o programa era buffet e alguma coisa) e um programa sobre a primeira dança do casal no casamento (first dance).

No programa, o casal ensaiava durante cinco aulas uma coreografia pra dançar bem a sua primeira dança. A noiva de hoje caiu, mas a culpa foi do noivo, que parece ter pisado na cauda do vestido dela... Coitada. Mas eles continuaram a dançar até o fim.

O que me lembrou que eu preciso ensaiar com o noivo uma dancinha, pelo menos...hehehe
E me lembrou de outra coisa. A Rosana Herman já tinha me lembrado disso, na verdade, quando postou no seu blog que o Júnior e os primos da Sandy teriam dançado no casamento dela Thriller, do Michael Jackson. Lembrei que já morri de rir no You Tube com vídes de danças bizarras. Vou postar alguns links aqui, pra vcs se divertirem tb:
Casal inglês dançando a música de Dirty Dancing - coreografia idêntica, integral, até o figurino (e acho que o próprio noivo, será que a escolha foi proposital?) ficou bem parecido!
Jack Johnson e Michael Jackson - nesse, o noivo dança bem melhor que a noiva...
Thriller com coreografia - a noiva tb ficou em segundo plano aqui. Quem se revelou foi o noivo!
A valsa deu tilt - esse foi um dos primeiros que eu vi. Bem ensaiadinho...
Entrada bizarra no salão - o noivo entra ao som de Vanilla Ice (I'm too sexy...) e a noiva, Beyoncée...
A família toda - esse tem até um menininho no meio...
Performático - esse é incrível, super ensaiado. Acho que é o melhor que eu vi!
Footloose - de todos, esse é o mais bizarro, de longe! O noivo se revelando ao dançar a música do Footloose... Será que o casamento vinga?
Enfim, tem de tudo, hip hop, break, dance, techno, etc, etc, etc... É só lançar "first dance" no You Tube, que vcs vão ver...

Bridezillas

Fiquei boa parte do dia hoje em casa... Resolvi milhares de coisas até o começo da tarde e passaria o resto do dia postando aqui. Assunto é o que não falta...

Mas aí, tive que fazer um trabalho pra pós respondendo a seguinte (e "simples") pergunta: o que é a sociologia jurídica e o que ela enseja, epistemologicamente, ao ensino do Direito e à formação profissional na Faculdade de Direito, no Brasil, hoje? Acho que não começamos muito bem, mas enfim...

Pra isso, tive que reler um texto complicadinho de 30 páginas que passei a semana inteira lendo. Mas, no final, tudo era mais simples que eu imaginava. Ainda bem!

Enfim, no meio das minhas tarefas, me diverti (e meio que me horrorizei) assistindo a um epidósio de Bridezillas (ou Noivas Neuróticas, no Brasil), que passa no Discovery Home and Health (canal 55 da NET).

Pra quem nunca ouviu falar, bridezilla é o adjetivo normalmente utilizado em inglês para as noivas neuróticas. Mas, na verdade, significa muito mais que simplesmente neuróticas... É uma mistura das palavras noiva (=bride) e Godzilla (acho que nem preciso explicar, né?!).

Enfim, o episódio de hoje era o casamento de Regina Santos e Domingo Gonçalves, pelo que pude perceber ele é português e ela, americana, mas descendente de portugueses...

A mulher é uma control freak total! Eles se casaram em um hotel e ela passou o dia todo controlando tudo, quem fazia o que e como e ainda marcando os lugares pras pessoas sentarem. Brigou, gritou com todo mundo e ainda, depois da cerimônia, foi indicar os lugares pros convidados sentarem! Ri, mas tb fiquei chocada! Que coisa horrível!!!

Ela foi ensaiar a dança com o noivo no salão, brigou por causa da dança, até porque teria migalhas de chocolate na pista de dança, inacreditável. Em resumo, um terror os momentos anteriores ao casamento dela. Nem sei como, depois de tudo isso, a pessoa entra de noiva, bela e formosa e tudo mais. Ah, sim, até na entrada pra cerimônia, ela reclamou que o pai tava muito rápido. Depois, muito devagar. hehehe

Até procurei no youtube algum trecho desse episódio, mas não achei não. Tem esse vídeo lá, de propaganda do programa... E procurando por bridezilla, aparece um monte de coisas...
Mas, enfim, o que isso tem a ver? Ah, tenho várias considerações a esse respeito.

Fiquei pensando durante o episódio que tb sou super centralizadora, bem control freak mesmo. Até queria me arrumar lá no Espaço Itália mesmo e tenho certeza que, se me arrumasse lá, ia querer ficar acompanhando tudo de perto. Achava que ia ficar bem mais tranquila assim, participando de tudo. Mas não sei se é verdade. Talvez me chateasse ou me estressasse com tudo.
A gente tem que estar preparada pro que vier, é claro. Nem tudo sai absolutamente da forma como planejamos. A gente faz o possível, evidente! Mas temos que nos preparar pro que pode não dar tão certo... Assim, me arrumar em outro lugar e chegar lá quando tudo já estiver pronto, sem ninguém com tecnologia suficiente pra tirar fotos e me mandar pelo celular, vai ser duro. Mas já vou me preparando psicologicamente pro que der e vier...hehehe
É um exercício constante de calma, paz e tranquilidade, claro! Pra isso, tb serve o dia da noiva. E eu tava procurando um lugar bem calmo e tranquilo justamente pra não me aborrecer muito. Pra tentar, ao máximo, relaxar e desencanar das preocupações. No meu caso, nem vai ser tão difícil, já que meu casamento é domingo e só estarei eu no salão mesmo... Mas, ainda que assim não fosse, é pra isso que servem aqueles banhos e massagens que são colocados nos pacotes de dia da noiva, viu!?
Agora, uma coisa eu queria fazer no meu casamento, que é típico de casamento norte-americano e acabei desencanando: marcar os lugares nas mesas que as pessoas vão sentar.
Claro que isso ajuda a afastar confusões de pessoas que não podem (ou não querem) sentar próximos. Mas acho que tem uma função ainda maior que isso, já que as pessoas que não se gostam costumam evitar ficar próximas de qq jeito, que é aproximar pessoas que têm algum tipo de afinidade... Coisa que só a gente perceberia.
Por exemplo, tenho um amigo em Brasília que é do interior de Minas Gerais. Haverá, no casamento, um outro convidado, da mesma cidade dele e que tem o mesmo estilo, curte coisas muito parecidas... Colocar os dois para sentarem na mesma mesa pode aproximá-los ou até mesmo fazê-los se reencontrar (vai que eles se conhecem de algum jeito)... Isso eu acho realmente legal!
Mas a questão é que dá muito trabalho fazer isso. Toma da gente um tempo precioso que, na maioria das vezes, não temos. E ainda pode causar controvérsias. Por isso mesmo, é que as mesas são de livre escolha no meu casamento. Menos trabalho e mais liberdade pros convidados. E tb é uma forma de que ninguém se sinta prejudicado se eventualmente ficou em uma mesa ruim. Foi ele que escolheu...hehehe
É claro que pedirei pra reservarem umas mesas para os pais dos noivos e padrinhos (e os próprios noivos tb!), que ficarão tirando fotos e não poderão ficar sentados no fundo do salão, né?!

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Mais sobre o Casamento Civil

Vi que alguém chegou ao blog procurando esclarecimentos sobre o que significa "certidão de nascimento atualizada". Adoro essa tecnologia que nos permite ver o que as pessoas procuram quando chegam ao blog. Ajuda a elaborar posts mais interessantes.
Então, pra ajudar eventuais dúvidas que surjam, escrevi no post sobre o Casamento Civil o porquê da certidão de nascimento atualizada. Mas não disse o que é realmente a certidão atualizada...
É simples! A certidão de nascimento atualizada é, nada mais nada menos, que a segunda via da certidão de casamento. É só ir no cartório de registro civil e pedir uma nova via, certo?
Bjks.

Refletindo sobre o Casamento...

Lendo o blog da Adriana hoje, que costumo acompanhar sempre, me deparei com um post excelente sobre os verdadeiros desafios e o significado do casamento.

Não poderia concordar mais. Vejo as pessoas tão ocupadas e preocupadas com a festa e, às vezes, penso no real motivo de tudo isso. O casamento (=relação) ou o casamento (=festa)?
A gente vive dizendo que o português é uma língua excelente, que só existe a palavra saudade na nossa língua e em nenhuma outra. Mas o inglês tem uma forma bem legal de diferenciar o assunto deste post: marriage e wedding.
Pois é, enquanto o marriage remete à relação que é o casamento, o wedding remete à festa do casamento.

Então, plagiando um pouco o post da Adriana, vamos parar um pouco com o wedding e partir pro marriage, pode ser?
Bom, como disse desde o começo: nunca pensei em ser noiva... Mas essas coisas acontecem na nossa vida por uma série de motivos.
Confesso que me envolvi com essa história toda de casamento e adorei. Tanto que tô aqui, pra escrever disso.
Mas qual o sentido de tudo? Ora, a festa é só uma forma de celebrar a união de duas pessoas que se amam muito e que resolveram assumir o desafio de ficarem juntas, no matter what, pro resto de suas vidas. Claro que todo mundo considera, eventualmente, a possibilidade de não dar tão certo (toc, toc, toc), mas se entramos nessa é porque acreditamos que vai dar certo, né?
No meu caso, acho que não cheguei a contar aqui, só aqui, eu e o Vitu fomos amigos por dois anos. Melhores amigos, com o tempo. Tudo foi bem natural no começo e sempre foi muito fácil. Não dá pra dizer, claro, que nunca tivemos nenhuma dificuldade, mas acho que nossa relação flui melhor e tem mais diálogo que muitos relacionamentos por aí. Perfeitos nós estamos longe de ser.
Mas a gente reconhece as qualidades e os defeitos que cada um tem. E aponta. E tenta melhorar. Melhorar, sim. Mudar não dá, né?! Se vc quer mudar uma pessoa, é melhor mudar de pessoa, porque isso quase nunca rola.
O que acontece é que acabamos nos policiando e tentando minorar alguns defeitos que atrapalham não só o outro, mas a nós mesmos, nossa relação com amigos, família, no trabalho e tudo mais. Por cada um de nós, sempre, nunca pelo outro, mas também pelo outro!
Assim, acho que conseguimos nos melhorar um pouquinho. Mas continuamos as mesmas pessoas do começo. "Melhoradas" por cinco anos. hehehe
Mas daí a morar junto e passar a ter uma "vida de casada", que envolve, necessariamente as famílias dos dois, não é fácil. Acho que, na verdade, a maior dificuldade de adaptação é com família mesmo, no nosso caso. Dele com a minha nem tanto, porque já tá acostumado a conviver com todo mundo. Mas eu não tenho taaaanto contato com a dele e reconheço que tenho que me esforçar para me aproximar mais e não ser tão ausente.
De resto, tem aquelas dificuldades básicas de dividir o mesmo espaço. Sempre achei que o melhor test drive era mesmo morarmos juntos por um tempo, antes do casamento. E acreditamos fielmente que teríamos essa oportunidade, com a remoção dele pra Brasília, em dezembro.
Mas o setor público é uma caixinha de surpresas e a remoção dele pra cá atrasou pra ser efetivada... Nada menos que quase dez meses. Resultado, ele vem sempre que pode. Nos sentimos morando juntos por, no máximo, uma semana, e ele tem que voltar pra trabalhar em SP...
Só que sei que morar junto de verdade não é igual a morar "eventualmente" junto. As bagunças dos dois se misturam. Imaginem como vai ser, ainda, numa quitinete de 30m²....
Temos que reconhecer que isso envolve um esforço dos dois. Compreensão, paciência e, acima de tudo, amor, que é a razão principal de estarmos passando por tudo - sejam coisas boas ou dificuldades - juntos.
Quando escolhemos alguém, não podemos pensar só naquele esquema de namoradinhos - passeio, cinema, barzinho, balada e cada um pro seu lado - porque a vida é muito mais complexa que isso. É preciso que haja muito companheirismo e muita cumplicidade entre as pessoas para que elas sobrevivam às tempestades que inevitavelmente virão, pra aproveitar a "bonança" depois.
Nem tudo é bonito, mas também não vivemos só de coisas ruins. Tudo a seu tempo. No nosso caso, o bom é que não costumamos brigar e discutir por bobagem (só na TPM, aquela época em que o homem é sempre bonzinho e subserviente, pra não contrariar...e mesmo assim a mulher consegue ficar brava com ele... hehehe).
Sei que muitas coisas do próprio casamento, aqui considerando a festa, são motivo de discórdia e até de brigas, mas a gente tem que ter o cuidado de discutir sem se magoar. Quando o negócio começa a ficar muito feio, é melhor parar e pensar a respeito. Se na primeira e mínima dificuldade, o bicho pega com tamanha intensidade, como vai ser no futuro?
Ninguém tem a fórmula mágica, nenhum relacionamento é absolutamente perfeito e nós - assim como ninguém - não somos impassíveis de erros, mas o importante é sempre ter diálogo e buscar uma solução. Olhando, claro, pra dentro da gente e não pra como é a casa ou a relação do vizinho, amigo, parente, etc...
Ficou grande o post, tenho certeza. Mas ainda tenho que terminar com a frase do meu convite de casamento, que sintetiza bem a minha relação (e espero que de muitas outras pessoas por aí):
Quando uma alma é dividida, ela tende a reencontrar sua outra metade sob a forma de amizade ou de amor. Sorte daqueles que têm em seu amor também seu melhor amigo. Têm o mais puro e verdadeiro sentimento. Nem o tempo ou a distância são capazes de separar aqueles que se pertencem, pois eles se completam e são, em essência, um só.

PS:

Lembrei!
A atriz é a Sally Field, que faz atualmente o Brothers and Sisters (Universal Channel).

Pausa

Acabei de ler uma notícia e achei melhor fazer uma pausa para um assunto seríssimo. E relacionado a casamento, de uma forma geral.
É triste como isso é recorrente. E não só com brasileiras. Tem um filme americano antigão sobre isso, com aquela atriz famosona na década de 80 (como eu pude esquecer o nome agora???!), acho qeu "tudo por minha filha". Outro dia mesmo apareceu uma reportagem no Fantástico sobre esse assunto. Não sei se era a mesma brasileira, mas a verdade é que as leis religiosas de alguns países árabes (não generalizo, porque não sei se são todos...) realmente não permitem que a mulher saia de lá com seus filhos. A única alternativa é fugir, o que coloca em risco a vida da mulher e das crianças tb.
Claro que é outra cultura e não nos cabe julgar isso. Mas que isso soa horripilante, soa.
O que isso tem a ver com casamento? É incrível como qualquer relato sobre esse tipo de história começa com o marido sempre muito gentil ou, no máximo, pouco descontrolado e que se regenera. A viagem, no caso, para o Líbano, é apresentada como uma oportunidade única, como forma de melhorar a vida do casal e até mesmo a criação dos filhos. Ao chegar lá, todas as mulheres que passaram por isso (aí sim, sem exceção), de repente, se vêem em uma situação de subjugação, os maridos se tornam violentos e elas não têm a quem recorrer, pois isso é tradição.
Por isso, meninas, antes de mudarem de país, é legal pesquisar a fundo a cultura e imaginar se seria possível se adaptar a uma civilização em que a mulher é um ser inferior ao homem, que pode tudo, e cheia de limitações. Uma decisão equivocada dessas pode acabar com a vida de alguém, infelizmente.
Mas chega de tristeza, né?! Só fico chocada com algumas coisas que leio e realmente acho incompreensíveis determinadas situações. Mas ao mesmo tempo, tenho que reconhecer que nós sempre somos responsáveis por nossos atos e, da mesma forma, não temos o direito de julgar absolutamente ninguém por suas escolhas. Principalmente se a pessoa toma uma atitude acreditando que isso vai melhorar sua vida (conjugal, profissional, pessoal, que seja!).
Bjks.

Presentes...

Poxa, estamos recebendo presentes com maior intensidade a cada dia... Legal, né?!
Não que a gente faça casamento pensando em ganhar presente, mas eles sempre são muito bem vindos. E é gostoso ver que as pessoas se dão ao trabalho de pesquisar um presente e comprar pra gente.
Ganhar presente é sempre bom!
Mas nem dá tempo de coletar tudo pra postar aqui! Uau! Vou tentar fazer uma colagem pra postar tudo de uma (ou duas) vez (es) só!
Bjks.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Bebidas II - a lista de fornecedores

Conforme prometido, segue a lista das lojas de bebidas que fornecem pra casamentos em SP e que visitamos (em ordem alfabética):
Imigrantes Bebidas (não fomos nesta, mas pesquisamos várias coisas...)
Pra quem quer tirar suas próprias conclusões...

Bebidas

Pro nosso casamento, bebida é um assunto importantíssimo.
Bebemos bem. Minha família também. Já a do noivo, é mais comportada...
De qq forma, bebida é assunto sério. Tem que ser boa e farta. Sem exageros, claro.
Assim, tivemos milhares de indefinições a esse respeito. O buffet oferecia o coquetel e as cervejas, que poderiam ser Brahma (clara e escura) ou Skol. Sei que tem gente que tem dúvidas, mas a gente não tem nenhuma dificuldade pra escolher entre essas marcas.
Mas só cerveja não bastava. Eu pensava em servir um vinho frisante suave, pra quem não bebe cerveja porque é amargo, e whisky. Esclareço que não tomo whisky. Mas é uma bebida comemorativa. E na minha formatura, me disseram que minha família não bebia e tudo mais. Secaram uma garrafa em tempo recorde. De um convidado. Chaaaato.

Sabendo que a família bebe e o noivo tb, eu queria servir whisky. Mas o noivo, surpreendentemente, não! Achava pesado, "demais", que o povo ia beber até cair. Mesmo assim não me convenceu muito. Que servíssemos pouco whisky, então....
Mas quando vi os preços, me convenci de que era "demais"...hehehehe
É incrível como o whisky sai muito mais barato no free shop! Só que não tínhamos pra quem pedir, então, foi abortada a idéia. Além disso, como é um almoço, em um domingo, realmente teria que ser mais sussa, pras pessoas não exagerarem.
Aí, minha idéia era o bar. No Espaço Itália tem um bar redondo bem no meio do salão, que fica lindo cheio de garrafas coloridas. Lá tem barman, pegamos o cardápio de drinks... Mas o noivo manteve a posição de que era demais. Gastaríamos quase o mesmo do whisky, acho. Pensei, então, em restringir as bebidas do bar (que tinha até coquetel sem álcool, o que achei legal) para servir só caipirinha de frutas. Não rolou.
No fim, desistimos mesmo da idéia. Passamos a pesquisar os vinhos frisantes.
Adoro moscatel e serviria um espumante de moscatel, mas é muito doce. Só reparei bem nisso quando provei lambruscos. Sinceramente, fizemos uma prova de vários tipos e há poucas diferenças entre os lambruscos. Essa prova foi em uma das lojas especializadas em casamento que existem por aí. Lá, selecionamos nosso primeiro lambrusco que, incrivelmente, era bem barato.
Passei a pesquisar algumas coisas pela internet. Fomos em uma loja que costumamos frequentar sempre. Lá, o sommelier (ou algo que o valha) nos deu excelentes dicas. Gostamos bastante do cara e sentimos a maior segurança. Ele fez um cálculo legal, considerando hora da festa, estilo dos convidados, época do ano e tudo mais. Sugeriu que servíssemos lambrusco mesmo, que é bebida de festa, e se quiséssemos, poderíamos mesclar com um prosecco extra dry (e não brut). Sobre o lambrusco, disse para comprarmos "o mais barato", porque a diferença de preço não compensava a diferença mínima de qualidade. Do prosecco, indicou duas marcas. Resultado: saímos de lá com um pata negra especial, que eu comprei pq quis, e duas garrafas de prosecco, porque não tinha nenhuma aberta pra provarmos.
Passamos eu, o Vitu e minha mãe, a noite de domingo e o início da madrugada "provando" os dois proseccos. Resultado: conhecemos muito bem o Corte Viola, amamos, e acordei segunda-feira ainda meio bêbada pra pegar o avião pra Brasília...hehehe
Visitamos outra loja, em que nos indicaram um lambrusco "de qualidade". Gostamos do pessoal lá, mas estávamos numa ressaca ferrada no dia e minha atenção foi pro espaço quando provei um golinho de vinho tinto. Tive uma dor de cabeça sem igual!
Passei a fazer cotações por email nas lojas que havia encontrado por aí. Recebi um email de um lugar com o preço do corte viola bom. Só dois reais a mais que a loja em que ele nos foi indicado, sendo que a promoção daquela loja já havia passado e eles não entregavam e nem poderiam guardar as bebidas por muito tempo (fomos dois meses antes do casamento lá).
Resolvemos visitar essa última loja. Foi uma das melhores decisões que tomamos. A loja é excepcional, o atendimento, primoroso, o rapaz que nos atendeu entende muito de bebida e provamos várias coisas, pra ter certeza do que queríamos.

E acabamos concluindo que o Corte Viola realmente era o melhor. Resumindo, por fim: compramos a bebida lá quase bêbados (em plena era de lei seca...), mas plenamente satisfeitos!
O legal da loja é que o preço foi campeão. Achamos que nem comportava sequer um chorinho. Dei dois cheques, um pra pagar metade da bebida que compramos e o outro, como caução, pela consignação da outra metade. A loja já manda as bebidas com um selinho de identificação que impede fraudes por funcionários dos buffets. E exige que mostrem todas as garrafas vazias na retirada, para conferência.
O bom é que eles entregam e retiram a mercadoria que sobrar. Isso, sim, é loja especializada em casamento!
E pra quem iria servir lambrusco barato, vamos servir prosecco italiano. Chique, bem mais caro que imaginamos gastar, mas com a certeza de que bebida não vai faltar e que a qualidade dela é indiscutível.
Já providencio uma lista com as lojas que visitamos, ok?

Horário do Blog

Não consigo mudar. Já tentei várias coisas, mas sempre diz que eu postei há três horas...
Se alguém souber como mudar, pf, me avise!
Bjks e boa noite!

27 Dresses

Acabei de assistir ao filme que, por coincidência, foi recomendado no Blog Casadinhos ontem ou hoje.

Coincidência mesmo, pois queria ter ido assistir a esse filme no cinema, quando li a sinopse, pois queria idéias de vestido de noiva, na época. Pra variar, o filme saiu de cartaz e eu não assisti...

Aí, no domingo à tarde, passei num dos melhores lugares de SP: na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. E lá tinha uma promoção que quem comprasse o dvd desse filme ganharia o livro "o diabo veste prada". Como adorei o outro filme e queria mesmo ler o livro (pois livros são sempre infinitamente melhores que os filmes), comprei o dvd. Ainda bem que gostei do filme, né?!

O filme é bonitinho. Água com açúcar, claro. Mas fofo, no melhor estilo "sessão da tarde" (que saudades!).

Agora, idéias de vestido, só se forem os mais bizarros. Eu achava que, com 27 vestidos de madrinhas (lá damas de honra) iria ter alguma idéia aproveitável pra transformar num vestido de noiva simples e elegante. Ledo engano. Mas o final guarda um lindo vestido de noiva, pra inspirar quem tiver procurando idéias por aí.

RSVP

Acho confirmação de presença um serviço essencial pro casamento.
Afinal de contas, por mais que a gente tenha idéia das pessoas que vão ou não, sempre nos surpreendemos. Nem todos estão disponíveis (ou nem querem ir) no dia do nosso casório... Outras pessoas têm dificuldades para ir que sequer imaginamos...
Assim, confirmar presença dá aquela segurança do número de presentes e ausentes, que nunca vai estar certíssimo, pois pode variar, mas aí a surpresa é menor...
O problema é que ninguém lembra, ou não dá a devida atenção.
E ficamos nós aqui, com o mico de termos fechado o buffet para um número estimado de convidados e, eventualmente, ter que aumentar ou diminuir o número, às escuras.
Já soube de noiva que sonhou que não tinha ninguém na festa.
Até entendo, porque se dependesse do número de pessoas que confirmou presença no prazo solicitado eu tb acharia que iriam apenas uns 15% dos convidados... hehehe
Aí, a gente tem que correr atrás das pessoas perguntando se elas têm pelo menos a remota idéia de que vão ou não ao casamento. Antes que seja tarde demais.
Como se não tivesse nada mais pra gente se preocupar.
Mas tudo bem, faz parte. Eu já sabia, no meu íntimo, que isso iria acontecer....
E é até bom, porque é uma forma de termos contato com as pessoas antes do casamento, considerando que no dia é muito possível que não consigamos falar com todos mesmo.
É, tudo tem seu lado positivo!

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Mania de magreza

Sei que toda noiva quer emagrecer pra caber (ou ficar melhor) no vestido. Eu confesso que era uma delas, mas meus planos de academia todos os dias antes do casamento foram completamente atropelados pelo meu excesso de trabalho. Nem uma única vez por semana eu tenho ido na academia (pasmem!) do meu prédio.
Tudo bem, nunca fui gordinha. Mas tb nunca fui nenhuma magricela, infelizmente. Meu tipo físico não permite que eu tenha aquela barriga no maior estilo "tábua" ou braços e pernas finas. Sou toda redondinha mesmo, fazer o que?!
Mas fico furiosa por comer tão pouco e não emagrecer. Retenho líquido, fico inchada (palavrinha feia de escrever, hein?!) e tudo mais...
Só que eu fiquei realmente espantada com a magreza da Juliana Paes, que tb é toda redondinha, no casamento dela. Vcs viram? Tava meio pele-e-osso!!!

Fotos: daqui, com créditos.

Aí, fiquei pensando que, se não quero fotos muito redondas do meu casamento, também não quero fotos assim não... Dá até aflição! É meio preocupante, parece que a pessoa tá meio doente, sei lá.
Não que ela não estivesse linda, pois estava, sem dúvidas. Não é uma crítica, só uma reflexão pessoal minha, que ainda preciso malhar muito pra ficar num padrão bem razoável de aceitação em fotos.
Afinal de contas, assim como a tv, foto engorda uns 5 quilos! hehehehe

Ufa!

Agora sim!
Recebi hoje a prévia do livro de assinaturas e ficou lindo!!! Ainda bem!
É incrível como as pequenas coisas nos desestabilizam e ver que tudo se ajeita nos dá um alívio imenso....
Só vou pedir pra ajeitar uma coisinha ou outra (pq sou MUITO chata mesmo) e aprovo. Depois, posto aqui, se alguém tiver curiosidade.

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Fotos (ainda)

Mas nem tudo é decepção e desapontamento.... Tô numa fase de drama total... hehehe
As fotos tiradas para compor o quadro na entrada da festa ficaram lindíssimas. O rapaz da Cimagem me mandou o email com a prévia da foto que eu mais adorei em PB e realmente ficou primoroso, delicado, lindo! Pra relembrar, é a última das quatro fotos desse post de julho.
E o resultado da sessão em estúdio tá resumido aqui embaixo, com a colagem de umas fotinhos fofas... Acho lindo tirar fotos ao ar livre (no meu caso, acho que tiraria na Paulista mesmo, pra registrar que mesmo longe, não deixo de ser paulistanissima!), mas acabamos optando pelo estúdio justamente pra podermos mesclar entre fotos descontraídas uns figurinos estilo "nós no trabalho" e o motivo das nossas mais homéricas brigas: futebol!
A sessão começou com umas fotinhos "casual":
Depois, colocamos o "uniforme" de trabalho. Amei fazer essa seqüência aí de baixo:
Aí, teve a parte mais divertida da sessão: sacanear um o time do outro.... Rimos pra caramba!

Seguimos para umas fotinhos mais descontraídas e românticas tb:

E terminamos com as fotos mais legais, para o quadro:

O resultado tá aí, pra análise de vocês. Espero que gostem tanto quanto eu!

Bjks.

Livro de Assinaturas

Algumas prévias do casamento são grandes e excelentes surpresas (ou nem tão surpreendentes assim), como o trabalho da Susana Fujita. Os convites foram a primeira materialização do que havíamos planejado pro nosso casamento. E ficaram ainda mais lindos que poderíamos imaginar! Ficamos embasbacados mesmo, literalmente. E, depois, teve os cardápios e, futuramente, os cartões de agradecimento.

Já outras coisas acabam nos deixando meio caídos. O mais importante pra mim, como já falei, são as fotos do casamento. Gastamos um tempão e conhecemos mais de uma dezena de empresas. Escolhemos não apenas pelo preço, mas pela afinidade e qualidade do trabalho. A sessão de fotos em estúdio foi em um estúdio "parceiro" da Cimagem, em Santo André. A fotógrafa, super gentil, tirou fotos excelentes e nos deixou muito à vontade....

Mas aí.... Pensamos em um modelo de fotolembrança que não se parece quase nada com os modelos disponíveis na Cimagem. Queríamos desenvolver um modelo novo, mas pelo jeito, nem vai rolar. Porque bastariam alguns ajustes num modelo que eles já têm pronto....

Ontem, vi a prévia do livro de assinaturas. Acabamos contratando o livro justamente por causa da sessão em estúdio. O livro que contratamos é um "photo book", de capa e páginas duras, com fotos grandes e bem lindas, praticamente um álbum, que vai valer mais pelas fotos que talvez pelas mensagens, pois sabemos que nem todos assinam ou deixam mensagens realmente verdadeiras e espontâneas...

Mas é uma recordação bem legal, de um momento anterior ao casório. Só que a prévia do livro já começou toda errada, com um modelo de livro de assinaturas do digipix, que é um mais simples, impresso em papel fino, na horizontal e tudo mais. Além disso, algumas fotos tinham uns efeitos em cima que não curti não. Tipo um quebra-cabeça e uma foto toda recortada em quadradinhos...

Na boa, gosto não se discute e eu respeito bastante quem gosta de efeitos especiais em fotos, mas pro meu gosto, dependendo do efeito, a foto fica horrível! Estraga a foto... Acho que a beleza da foto tá nela mesma. Um photoshop sempre ajuda, claro, mas daí a desfigurar a foto, não rola... Vira fotografia 'abstracionista'... hehehe

Fiquei tão chateada que, na hora, disparei a metralhadora... Respondi informando que eles se enganaram quando ao modelo do livro e pedindo para não usarem efeitos sobre as fotos, pois acho de "extremo mau gosto". Assim mesmo. O noivo concordou, claro. Inclusive com a rudeza das palavras, reproduzindo o que ele mesmo disse...

Hoje, o rapaz me respondeu dizendo que verificou que o livro estava errado mesmo e pedindo desculpas pelo engano. Agradeceu minha "sinceridade".... Eu já aproveitei até pra avisar que sou super chata mesmo e que sei que gosto não se discute... Desculpe se fui sincera em excesso...

Mas não é verdade? Se eu não for chata, vou ficar com um negócio meia-boca que eu vou sempre lembrar que não ficou do jeito que eu gostaria.... Prefiro ter fama de chata mesmo. Aliás, parece que quanto mais chata a gente é, mais as pessoas fazem as coisas direito, com medo de nos desagradar... Infelizmente, a raça das boazinhas, nas quais eu costumeiramente me incluo, não é muito respeitada por aí não...